Guia básico para pessoas recém diagnosticadas com diabetes tipo 1

Conheça a seguir alguns termos básicos relacionados ao diabetes tipo 1, dispositivos mais utilizados e onde buscar informações sobre o assunto. Confira!

O diabetes tipo 1 se caracteriza pelos níveis altos de glicose no sangue. Isso ocorre porque o organismo das pessoas com diabetes não tem a capacidade de controlar a taxa sanguínea de açúcar, conhecida como glicemia.

Atualmente, o diabetes tipo 1 responde por cerca de 10% dos casos de diabetes no mundo e acomete principalmente crianças e jovens. As causas são diferentes, mas o diagnóstico pode ser feito de forma semelhante.

A pessoa pode descobrir que tem diabetes tipo 1 a partir de um exame de sangue de rotina. Ou também, pode ter tido sintomas repentinos e graves que levaram a uma ida ao médico ou mesmo ao pronto-socorro.

De qualquer forma, receber o diagnóstico de diabetes pode ser assustador e é provável que neste caso você tenha muitas perguntas em mente. 

Acima de tudo, é preciso saber onde buscar informação confiável para responder a todas as dúvidas. 

Na maioria dos casos, os médicos, enfermeiros ou cuidadores são as melhores pessoas para perguntar sobre tratamento e rotinas para o treinamento inicial do diabetes.

Para ajudar você nesse momento do diagnóstico recente de diabetes tipo 1, vamos explicar alguns termos básicos, dispositivos mais utilizados e onde buscar informações sobre o assunto. Confira!

Conheça alguns termos básicos do diabetes

Sem dúvida, tanto para a pessoa com diagnóstico de diabetes, quanto para quem administra o tratamento de outra pessoa, é fundamental conhecer a linguagem e o universo em torno do diabetes. Então confira:

Glicemia : refere-se a quantidade de glicose/açúcar no sangue. Os não diabéticos devem apresentar valores de glicemia após o jejum (8-12 horas) entre 70 e 99 mg/dL. 

Verificar a GS ou a glicemia: fazer essa verificação é simples, basta usar um medidor de glicose no sangue e um lancetador para tirar uma gota de sangue e testá-la quanto ao teor de açúcar. Os diabéticos tipo 1 devem fazer isso regularmente para ver se o açúcar no sangue está dentro dos limites.

Hipoglicemia : também conhecida como hipo ou baixa, a hipoglicemia ocorre quando o corpo não tem açúcar suficiente para funcionar adequadamente. 

Hiperglicemia : também conhecida como alta ou hiper, a hiperglicemia ocorre quando há muito açúcar no sangue. 

Glucagon : é um hormônio contrarregulador da insulina, isto é, tem um efeito contrário ao dela. Pode ser usado como tratamento de emergência administrado por via nasal ou injetável, com ação rápida e segura no tratamento da hipoglicemia. 

Insulina : o hormônio que nosso corpo produz para armazenar o açúcar, derivado dos alimentos, no interior das células, onde será aproveitado para gerar energia. Diabéticos tipo 1 não produzem insulina, por isso, eles devem recebê-la de forma artificial para manter o funcionamento dos tecidos e órgãos.

Contagem de carboidratos: conhecer as contagens de carboidratos em uma determinada porção de alimento é essencial. Em última análise, esse método prega que os diabéticos tipo 1 injetem uma certa quantidade de insulina conforme a quantidade de carboidratos que ingerem.

Valores aproximados de referência dos níveis de glicemia

  • Hipoglicemia: igual ou inferior a 70 mg/dL
  • Normal: Entre 70 e 140 mg/dL
  • Hiperglicemia: igual ou superior a 140 mg/dL.

Conheça os dispositivos utilizados no tratamento

Medidor: esse é um medidor de glicose no sangue, também conhecido como glicosímetro. Os medidores são usados ​​para testar o sangue e vêm com um dispositivo de punção para picar um dedo.
Os glicosímetros estão disponíveis em várias marcas e seu uso deve ser orientado pelo médico, que indicará a frequência de medições da glicemia. 

CGM (Monitor Contínuo de Glicose): este dispositivo é acoplado ao corpo e monitora o açúcar no sangue 24 horas por dia e indica tendências. 

Bomba de Insulina: este dispositivo está conectado ao corpo e fornece insulina constantemente ao usuário.

Saiba como o diabetes pode afetar o humor

É normal que o humor da pessoa com diabetes possa ser afetado pelos níveis de açúcar no sangue, altos ou baixos. Confira alguns sintomas de oscilação de humor:

  • Sintomas relacionados à hiperglicemia (glicose alta no sangue):  náusea, suspiros profundos, confusão, pele vermelha e quente, sonolência, irritação;
  • Sintomas de hipoglicemia (glicose baixa no sangue):  pele trêmula, pálida e suada, dor de cabeça, fome, fraqueza, tremores, retraimento.

Saiba onde buscar informações sobre diabetes

Para saber tudo que precisa sobre o assunto, busque informações em sites como da Sociedade Brasileira de Diabetes ou do Sistema Único de Saúde (SUS). Além, claro, da TIPO 1, onde é possível acessar conteúdos relevantes e atuais relacionados ao tema diabetes.

Ao buscar informações, você descobrirá como equilibrar insulina, alimentação e atividade física e obterá dicas sobre como lidar com o lado emocional de quem vive com diabetes. 

Informação segura e confiável deve ser divulgada!

Compartilhe com seus amigos! Basta clicar nos botões a seguir.

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Imprimir
Email
Quem tem uma ostomia pode ter uma vida completa e feliz

Cadastre-se

receba gratuitamente informações atuais e relevantes para ajudar você a conhecer o Diabetes Tipo1 e conquistar mais qualidade de vida

Subscription Form_T1

2023 Tipo1® | Todos os Direitos Reservados